Natuzzi descontos de até 50%
Refis Agosto 2019
AEROPORTO STA. MARIA

Causas da queda de avião que matou médico e esposa serão apuradas pelo Cenipa

Aeronave caiu de bico e ficou parcialmente enterrada na Capital

15/05/2019 14h12Atualizado há 3 meses
Por: Zadir de Souza
Fonte: Correiodoestado
Avião caiu em uma mata próxima ao aeroporto Santa Maria - Foto: Bruno Henrique / Correio do Estado
Avião caiu em uma mata próxima ao aeroporto Santa Maria - Foto: Bruno Henrique / Correio do Estado

Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) investigará as causas e circunstâncias da queda de um avião de pequeno porte, na manhã de hoje no Aeroporto Santa Maria, que vitimou o médico ginecologista Pedro Arnaldo dos Santos e a esposa, Silvana dos Santos, em Campo Grande. Equipe está vindo de Brasília e deve chegar à Capital na parte da tarde.

O acidente aéreo aconteceu na manhã de hoje. Conforme informações apuradas pelo Correio do Estado, o médico pilotava a aeronave e decolou do aeroporto, com destino a uma fazenda de sua propriedade, no Pantanal. Pouco após a decolagem, ele passou a fazer manobras em circulo e caiu de ponta em uma região de mata, a cerca de 100 metros do aeroporto.

No momento do acidente, havia muita neblina, que dificultava a visibilidade. O Aeroporto Santa Maria, localizado na saída para Três Lagoas, não tem sistema de iluminação na pista e funciona apenas por meio de procedimentos visuais.

Antônio Barbosa Nogueira, que também é piloto, estava próximo ao local no momento do acidente. Ele disse que tinha um voo marcado para às 8h30, mas decidiu esperar a neblina dissipar para decolar. Antônio disse ainda que para sobrevoar é necessário ter visibilidade de 450 metros de altura e cinco mil metros de horizonte e que acredita que Pedro Arnaldo tentava retornar ao aeroporto, quando houve a queda.

Após a queda, houve a explosão. Como o avião caiu “de bico”, parte da aeronave, cerca de um metro e meio, ficou enterrada no solo. Inicialmente, Corpo de Bombeiros fez a extinção das chamas dos destroços, com uso de areia por conta da queima de combustível. No entanto, equipe foi novamente acionada para ajudar a escavar a área e retirar os corpos, que ficaram carbonizados e presos na parte soterrada da aeronave. 

"Pelas informações, ele [avião] ficou fazendo giros no ar e embicou. Nós extinguimos as chamas, isolamos a área e o procedimento agora é aguardar a perícia", disse o tenente dos Bombeiros Carlos Antônio Saldanha.

Delegado de Polícia Civil, Rodrigo Camapum, informou que foram feitos os levantamentos iniciais no local e o trabalho que cabe à polícia e a perícia técnica é a confirmação oficial da identidade das vítimas, que foram inicialmente reconhecidas por um amigo da família.

“A investigação das causas do acidente será atribuição do Cenipa”, disse o delegado.

Além dos bombeiros, equipe da empresa funerária, perícia e Polícia Civil, um helicóptero também é usado nos trabalhos. Equipes ainda estão no local. 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários