Equimape Móveis
Fronteira do Futuro 16-12-2019
SAÚDE

Nova etapa da Caravana da Saúde custará R$ 7 milhões e terá cirurgias eletivas

Governo pagará até quatro vezes valor da tabela em alguns procedimentos

14/02/2020 15h39Atualizado há 2 semanas
Por: Zadir de Souza
Fonte: Correiodoestado
56
Reunião da CIB nesta sexta-feira - Bruno Henrique/Correio do Estado
Reunião da CIB nesta sexta-feira - Bruno Henrique/Correio do Estado

O Governo Federal aumentou a verba destinada às cirurgias eletivas para Mato Grosso do Sul, mas reduziu drasticamente a quantidade de procedimentos que recebem em dobro o valor previsto na tabela do SUS, de 288 para apenas 53. O Estado incluiu essas operações no rol de procedimentos da Caravana da Saúde de 2020 a fim de que elas continuem com os adicionais.

Essas informações foram anunciadas durante reunião do Comitê Intergestores Bipartite (CIB), nesta sexta-feira (14). Na ocasião também foi divulgado que a União repassará R$ 3,3 milhões para as cirurgias que podem ser agendadas, tímido acréscimo de R$ 50 mil.

O Governo mandará ao Ministério da Saúde a lista com os municípios interessados em utilizar essas verbas. A relação foi apresentada e pactuada durante o encontro.

Paralelamente, Mato Grosso do Sul vai investir R$ 7 milhões no âmbito da Caravana da Saúde, conforme Resolução publicada em Diário Oficial e apresentada aos gestores também durante a reunião.

A adjunta da Secretaria de Saúde, Christine Maymone, disse ao Correio do Estado que a redução na lista de procedimentos eletivos que podem receber o dobro da tabela SUS não vai prejudicar Mato Grosso do Sul e esclarece que a União continuará bancando com valor unitário todos os tipos de cirurgias agendáveis.

“O Governo Federal enxugou e penso que eles fizeram certo. Eles sempre ajudaram. Somos nós agora que estamos dando o plus. É uma coisa bacana e os municípios agradeceram porque eles participaram da construção”, explica a adjunta.

Segundo ela, existem procedimentos na Caravana da Saúde que valem até quatro vezes o preço tabelado, no caso dos ortopédicos, e nenhum deles está presente na lista da União para não haver conflito. Ou seja, cada esfera vai bancar com acréscimos certas operações.

“Talvez façamos alguns mutirões eventuais, mas hoje estamos dando a oportunidade de todos os municípios aumentarem a sua capacidade de atendimento. Estamos injetando um dinheiro expressivo e único. Tudo isso foi construído com os municípios. É um trabalho inovador”, disse Christiane.

As secretarias municipais têm até dia 21 de fevereiro para informar o interesse em participar da Caravana informando a quantidade de pacientes que aguardam por cirurgias. “A tabela SUS é desatualizada e assim conseguimos estimular os municípios a fazerem as cirurgias. Todo o processo é regulado legalmente por decreto e o município faz a adesão. Essas tabelas incluem consulta e pós-cirúrgico, não apenas o procedimento”, completa a adjunta da SES.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.